MINHA EXPERIÊNCIA NA ÁREA EDUCACIONAL COM AS AULAS AO VIVO ON LINE

Minha paixão pela educação já não é de hoje!!

Desde que tentei iniciar na área, no início dos anos 2000, minha vontade de lecionar já era enorme!

Estava terminando minha graduação em Psicologia e estava com a energia em alta, muito conhecimento adquirido num curso maravilhoso e transformador!

A empresa onde tralhava na época incentivava a nossa capacitação para atuar com treinamento. Desde aquela época já éramos estimulados a ter a formação continuada, buscar a formação transversal! Num dos cursos que frequentei, ganhei da organização do curso o livro “Tratado da Transversalidade! Foi um momento muito importante da minha vida e da minha história na educação.

Pelo contato que tive com a prática de lecionar, pensava “Estar no tablado, mantendo contato com retroprojetor, flipchart e lousa é o meu maior sonho!

Minha história na empresa foi muito interessante!

Apesar de não atuar em sala de aula, já que a área que não tinha nada de prática educacional. Eu atuava no departamento pessoal, respondia pela folha de pagamento de pessoal nessa grande empresa. Como o segmento de atuação dessa empresa era o segmento educacional, comecei a pensar em como ingressar na área de cursos e dar uma mudada na minha carreira.

Já estava atuando com recursos humanos tinha 20 anos!

Pensei – Já está na hora de mudar!

Buscar novos desafios fora das mesas de um escritório, do departamento pessoal.

Sai dessa empresa!

Sou muito grato por tudo que ela fez por mim!

Entre outras coisas ela aguçou minha curiosidade por lecionar, por ir em busca de meus sonhos, principalmente de me tornar professor!

Anos depois, me tornei professor! Finalmente comecei a lecionar, senti muito orgulho!

Era a realização de um sonho, uma conquista profissional muito importante em minha carreira.

Várias pessoas me ajudaram a concretizar esse sonho e nomeá-las seria injusto, poderia esquecer de alguém.

Numa retrospectiva, o início dos anos 2000 ainda tinha uma forma tradicional lecionar, de dar aula!

Na instituição que comecei a lecionar, os recursos para dar aula eram os tradicionais lousa, tablado, retroprojetor, slides, apostila, xerox de “cases”, texto de apoio para atividades!!!!

Raras eram as ocasiões que tínhamos oportunidade de utilizar recursos como o Datashow. Ainda era artigo de luxo na maioria das escolas, inclusive universidades.

Em paralelo ao ensino presencial, começava a despontar o EAD. No geral, ainda pouco se falava no ensino superior das aulas em EAD!

As poucas ofertas de curso em EAD que existiam ofereciam o acesso à plataforma, a leitura textos-base, fórum e chat.

0 EAD ainda era uma novidade na área educacional.

Encontrava muitas resistências, tanto de alunos quanto das instituições. Isso provocava ainda baixa oferta de cursos. Poucos de nós professores era convidado a lecionar nessa modalidade.

Se analisarmos o contexto onde os cursos em EAD eram oferecidos, tratava-se de um período onde o estímulo à matrícula no ensino superior presencial era gigantesco.

O governo promovia incentivos ao ingresso na faculdade, com subsídios de mensalidades, contratos de empréstimos para pagamento após formado, além da ampliação da oferta de cursos presencias, graças ao ingresso no mercado educacional brasileiro dos grandes players da educação mundial e também entrada de fundos de investimentos.

A prosperidade na área universitária nunca tinha chegado nesses níveis!

Portanto, os alunos eram estimulados a realizar o curso presencial, a infraestrutura era abundante.

A oferta de aula para nós professores era generosa, não ficávamos sem aulas.

O EAD crescia timidamente, com uma pequena quantidade de alunos que realizavam, muitas vezes por limitações diversas. Provavelmente essa seria a única forma de ter uma graduação.

Passados tanto tempo, o cenário mudou!

O EAD se estruturou!

A instituição começou a capacitar seus professores!

Comecei a fazer cursos sobre videoaulas, participei de treinamentos formatados de acordo com a necessidade da instituição.

Participamos de oficinas, foi desenvolvido tutoriais! Confesso que gostei muito dessa experiência! Estava ótimo, capacitação, estrutura, aulas no EAD. Um cenário animador! Muitos professores não gostaram! 

A instituição desenvolveu admirável estrutura tecnológica! Em paralelo ocorreram  demissões em grande escala! Centenas de professores que entraram na mesma época que eu, perderam seu emprego.

A demanda pelo EAD era gigantesca. A instituição acompanhou o mercado e contratou tutores para acompanhar seus alunos. Nós professores, fomos substituídos nas aulas de EAD. Ficamos somente com as aulas presenciais!

Nesses tempos de pandemia o EAD e a aula On Line ao Vivo tornaram-se excelentes opções para continuar os estudos nessa pandemia!

Muitas instituições de ensino, públicas e privadas, no mundo inteiro, adotaram essa modalidade de ensino! Outrs escolas estão fechadas até o dia que publico essa postagem! Escolas fechadas por conta de políticas preventivas de isolamento social e quarentena. Alunos sem aula e sem a possibilidade de continuar seu aprendizado!

Mesmo no retorno gradual e progressivo, com a retomada das atividades, governos e autoridades dizem que parte das aulas continuarão sendo em ensino remoto.

Pois é meus leitores e eu fiz e faço parte dos milhares de professores que lecionou no ensino on line ao vivo durante essa pandemia!

Que experiência!

Foi transformador!

Nunca pensei que ia passar por esse momento:  minha aula transmitida para meus alunos, pelo celular, ao vivo, todos em suas casas e eu transmitindo da minha casa.

Com um conteúdo previamente definido, material de apoio preparado, plataforma de ensino conectada, sistema de transmissão pela internet mediado por um aplicativo de videoconferência, pontualmente iniciava minha aula.

Via a cada minuto novos alunos chegando, cumprimentando, contando as novidades, até finalmente a aula começar!

No início foi difícil!

Parecia que estava sozinho, falando para ninguém!

Numa explanação guiada por powerpoint, imagens, fórmulas, tarefas, ia avançando o conteúdo!

Periodicamente perguntava se estavam entendendo, se estava clara minhas explicações! Alguns “ok” – outros “sim” e outros “pode ir adiante” apareciam no chat da aula!

E o silêncio prevalecia!

Único som: o da minha voz!

Únicas palavras, as monossilábicas já relatadas!

E quando chegava a hora da leitura da atividade do dia, transmitia e aguardava a entrega por e-mail, ou pela plataforma!

E quando atingia o horário mínimo para liberação da chamada, passados 30 segundos já não estava mais quase ninguém logado na aula!

Pensava comigo:

“- Caramba, preciso fazer algo diferente para dinamizar essas aulas ao vivo! Só a explanação e o powerpoint, tá ficando esquisito!!!!”

E posso te dizer, essa foi a minha maior angústia lecionando no ensino on line ao vivo!

Foi um desafio tornar as aulas, os momentos de ensino-aprendizagem, mais prazerosos, interessantes, e transmitir ao aluno!

Passei a modificar a forma, invertendo a maneira de dar aula!

O aluno precisava ser o protagonista nesse tipo de aula. Então pedi para trazer sua experiência, seu entendimento do assunto da aula. Foi gratificante.

Foi uma grande virada no jogo!

A partir dessa nova atitude, as aulas ficaram melhores, os puderam expor maior criatividade e liberdade em conteúdo programado para cada aula!

Te digo, parece que estava desempenhando meu trabalho numa nova profissão, que estava participando de uma nova maneira de se adquirir conhecimento!

Aula ao vivo on line, o futuro antecipado para nosso presente!

Legado dessa pandemia, que transformou o mundo!

Gostei tanto dessa experiência, que deixei ela registrado no meu blog, para quando tudo passar, recordar e relembrar de momentos tão significativos da minha vida profissional!

Quer saber mais, quer deixar seu depoimento! Escreva! Sua opinião é importante para mim!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo e Coach  

SAIBA MAIS SOBRE A TOMADA DE DECISÃO

Você já percebeu quantas decisões nós tomamos por dia?

Você já parou para pensar quantas coisas estão envolvidas numa tomada de uma decisão?

Decidimos sobre qual roupa vestir, o que vamos comprar, que canal assistir, o que vamos comer, qual candidato passará no processo seletivo, só para falar algumas das decisões que tomamos rotineiramente!

Agora com a pandemia do COVID-19, várias decisões que tomávamos antes, tivemos que reformular, e até muitas vezes mudar decisões anteriormente tomadas!!!!

Isso aconteceu com você também?

Mesmo com a pandemia, somos muito cobrados sobre as decisões que tomamos, só que poucos sabem o que nos levou a decidir, como ocorreu processo de tomada das decisões!

Uma decisão, independente se envolve assuntos organizacionais ou pessoais, precisa ser muito bem analisada, bem avaliada.

Realizei uma pesquisa para elaborar esse post e em várias fontes pesquisadas foi abordado que durante uma tomada de decisões, vários processos mentais estão envolvidos, atuando de forma decisiva para que a melhor decisão possível seja tomada. Isso tudo em fração de segundos!!!!

Na pesquisa realizada busquei informações na Neurologia! A neurologia mostra que nosso cérebro, com seus sistemas complexos, comandam o processo decisório, trabalhando aspectos racionais, e, também emocionais.

O cérebro possui estruturas próprias que podem entrar em conflito na hora da decisão. Isso torna a decisão mais difícil, aumenta o gasto de energia para decidir!

Nosso cérebro durante a tomada de decisão envia diversos comandos que precisam ser entendidos e respeitados. O lado racional, trabalha com dados, informações, cenários. O lado emocional com o prazer! Por isso uma decisão tomada pode levar ao indivíduo satisfação, alegria e euforia. Ou provocar arrependimento, frustração ou decepções caso seja criticada, julgada, ter uma avaliação ruim.

Um exemplo do dia a dia:

– O jogador que bate o pênalti e marca um gol, fica eufórico com a decisão tomada e a consequência positiva dessa decisão. O goleiro, que ao imaginar como defender o pênalti, fica indeciso sobre que lado cair, fica frustrado por na última hora mudar o lado para tentar defender o pênalti. Fica se culpando – “Mas eu ia cair no lado direito! Porque eu mudei de lado??????? Ele não defendeu o pênalti por uma decisão errada que tomou! E precisa se responsabilizar por essa decisão! Só não deve se achar o pior dos goleiros por causa disso!!!! Percebe que ao se culpar ele também está utilizando a emoção!

Existem também as decisões por impulso! Nesse tipo de decisão nosso cérebro primitivo, também chamado de Cérebro Reptiliano, aciona comandos defesa, proteção! Numa noite o indivíduo percebe outro vindo em sua direção e esse com medo de ser assaltado, grita de medo! Essa decisão tomada instintivamente, em fração de segundos, foi para defender-se, acionada pelo Cérebro Reptiliano.

Já em condições normais para a tomada de decisão, o indivíduo utiliza o livre arbítrio para decidir! Muitas vezes essas decisões podem demorar, pois os comandos adequados não dão sinal verde para uma decisão ser tomada.

Podemos estar procrastinando, não utilizando o senso de urgência, ficamos na expectativa de informações de melhor qualidade, argumentos convincentes e busca por uma lógica confiável para decidir! Essa questão tem relação com a condição para decidir, que não é perfeita!

Vale lembrar que nosso sistema neurológico emprega expressiva quantidade de energia para que uma decisão seja tomada justamente buscando essa tal perfeição, que na prática não existe.

Essa questão da energia pode ser melhor entendida quando realizamos uma simples tarefa de ir ao mercado, com nossa lista de compras!

Quando determinado item da compra possui 4, 5 ou 6 concorrentes para o mesmo tipo de produto, de diferentes preços e tamanhos!!

Gastamos energia para reunir informações para decidir qual marca comprar. E você pode perceber, ao final dessa tarefa, sentimos sintomas de estresse, de um certo esgotamento mental. Esse processo ocorreu em razão da elevada energia gasta para decidir qual produto comprar.

Agora, se para um item de compra já temos esse desgaste, imagina para uma decisão onde o número de variáveis é maior, a complexidade de informações é mais profunda.

Quando vamos tomar decisões, precisamos ter alguns cuidados preliminares, para que a decisão tomada beneficie a você, sua família, sua empresa.

O contexto requer que você conheça a maior parte das consequências que essa decisão vai te trazer.

Voltando à escolha do produto. Se você escolheu comprar um item em um determinado mercado, e ao chegar em seu condomínio, conversando com seu amigo, você fica sabendo que esse mesmo item em outro mercado estava 20% mais barato, você pode, de uma hora para outra, achar que tomou uma péssima decisão de compra!

É um sentimento de culpa, uma decepção que toma conta. Por essa razão um planejamento do processo decisório é muito adequado, eu diria essencial.

Existem inúmeras ferramentas de apoio para um processo decisório. Uma que acho bacana e que você pode pesquisar é o Mapa Mental!

Nele você reúne as informações relevantes, traça cenários, prevê consequências.

Aprofunda criando um plano de contingência para eventuais emergências e também exercita probabilidades para as consequências de sua decisão. Esse cuidado pode aumentar a segurança em relação à decisão que será tomada.

Espero ter aumentado seu conhecimento sobre o assunto ajudado a você se interessar sobre o assunto e buscar outras fontes de pesquisa, para um tema de especial relevância nessa pandemia da COVID-19, que elevou muito o nível de incerteza sobre nossas vidas.

Essas incertezas estão impactando nossos empregos, nossas carreiras, nossa saúde, nosso convívio familiar. Decisões que antes eram tomadas com uma chance maior de êxito, atualmente necessitam de muita reflexão, temperança e resiliência!

Gostaria de trocar algumas ideias sobre o tema, relatar algum caso, sugerir outros assuntos? Deixe seus comentários!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo

HOJE EU ESCREVO SOBRE DECISÕES

Você já percebeu quantas decisões você toma diariamente?

Você tem avaliado a qualidade das decisões que tem tomado ultimamente?

Você acredita que uma parte das suas decisões tiveram forte interferência de suas emoções?

Acredito que independente se você estiver trabalhando ou não, você toma decisões diariamente!

Algumas decisões que você toma terão impacto não somente em sua vida, mas na vida de familiares, amigos, colegas de trabalho!

Uma decisão traz consequências diretas para você e também indiretas para quem convive contigo.

Trocar de emprego, mudar de cidade, comprar um carro, adotar um animal, casar, ter filhos, o que vai fazer para o almoço!!!! Tudo isso envolve a tomada de decisão!

São decisões importantes, passos que tomamos em nossas vidas!

Mas a pergunta que muitas vezes não tem resposta é:

-“…será que estou tomando a decisão certa?”

Posso compartilhar contigo que devemos nos esforçar para “tomar a melhor decisão possível!!”

Muitas vezes não temos as condições ideias para tomar uma decisão!

Ora estamos pressionados pelo tempo, ora estamos pressionados pelos envolvidos na decisão que precisamos tomar, e também muitas vezes não temos as informações necessárias para que tomemos essa decisão!

Mas precisamos tomar!

Ficamos indecisos, inseguros, estressados, apavorados! Mas temos que decidir.

Percebo que fatores internos como a personalidade, o estado emocional e na minha opinião a autoestima , afeta a nossa tomada de decisão!

Hoje eu escolhi o tema decisão, principalmente em razão da situação que vivemos em função da Pandemia do COVID-19.

Somos bombardeados por informações de todos os lados!

Somos pressionados a ficar em casa, mas precisamos trabalhar, defender “o pão de cada dia!”

Aí fica a dúvida:

– O que fazer?

– Em quem acreditar?

– Quais serão as consequências da decisão que tomei?

– Estou ciente disso, ou fui manipulado?

– Porque decidi fazer isso?

Quantas questões envolvidas, num é mesmo?

Hoje, o grau de incerteza a que estamos submetidos é um absurdo!

E essas circunstâncias podem te levar a uma decisão equivocada!

Conheço pessoas que não conseguem tomar decisões!

Outras que, quando tomam decisões, tem um nível de arrependimento acima da média!

Não podemos esquecer que essa situação imobiliza o indivíduo e sua qualidade de vida fica comprometida! Nesse caso a pessoa precisa de ajuda profissional!

Tenho pensado muito nisso e resolvi falar um pouco sobre processo decisório para aumentar seu grau de consciência sobre as decisões que toma!

O tema Processo Decisório é tratado em tese de mestrado e doutorado, tem inúmeros modelos acadêmicos defendidos para a tomada de decisão.

Meu intuito não é abordar o tema decisão nessa profundidade, mas sim, te alertar sobre os cuidados na hora de tomar suas decisões!

Listo alguns cuidados que acredito ser necessário na tomada de decisão:

– Cuidar de juntar o maior número de informações essenciais, imprescindíveis para a tomada de decisão;

– Avaliar os prováveis cenários que se desenham, quais alternativas tem para tomar uma decisão;

– Prever as prováveis consequências que sua decisão trará;

– Estabelecer um Mapa Mental para o Processo Decisório;

– Escutar, na medida do possível, opiniões sobre a questão que precisa resolver, que precisa decidir. Ter um bom time de conselheiros ajuda muito;

– Quando for possível, tomar decisões compartilhadas, que fortaleçam a eficiência e eficácia da decisão tomada;

– Evite tomar decisões no calor das emoções. Elas podem ser precipitadas e causar prejuízos não previstos adequadamente por você!

Gostou do tema, tem dúvidas, gostaria de deixar sua opinião?

Conte comigo, se precisar conversar, mantenha contato!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo

COMO PROCURAR EMPREGO NO PÓS – PANDEMIA

Agosto chegou!

Mês tradicionalmente utilizado para a divulgação de Programas de Trainee, Programas de Estágio e também do início dos processos seletivos para as empresas começarem a completar seu quadro de pessoal buscando talentos no mercado.

Com a quarentena provocada pela Pandemia do COVID-19, algumas empresas estão até reavaliando seu planejamento para 2021 e redefinindo seu quadro de pessoal. Tem muita incerteza no mercado de trabalho!!!!

Mesmo assim não podemos deixar de lembrar que agosto também é o mês de reinício das aulas, depois das férias desse meio de ano!

Observo que a pandemia não está dando sinais de que vai acabar!  Nesse cenário de continuidade da pandemia, e também com os governos flexibilizando a quarentena, a atividade econômica começa a retomar seu funcionamento normal!

Durante esse período de isolamento, muita coisa no RH mudou, em especial nos processos seletivos! Nessa reinvenção do RH, vários processos de trabalho precisaram se modernizar.

O recrutamento intensificou a utilização de suas bases digitais. O candidato para ter acesso à vaga precisa estar cadastrado no site da empresa (Trabalhe Conosco).

Além de se cadastrar nos sites da empresa, o candidato precisa também estar com seu currículo em sites especializados em banco de dados de Candidatos, como a Catho , a Infojobs, o Vagas.com, o Currículun.com.

De um tempo para cá os selecionadores buscam candidatos informando a palavra-chave principal do cargo. Com o auxílio de inteligência artificial, buscadores refinados, e outras ferramentas especializadas desenvolvidas para esse fim, capturam os currículos de candidatos com perfil mais adequado à vaga.

Além dessa forma de selecionar candidatos, a área de recrutamento também utiliza de fontes de recrutamento ligadas à redes sociais, como o Linkedin e os grupos de Whattsap.

Tem destacada importância também nesse momento os cursos de formação e especialização, que também se tornam importante forma de recrutamento de potenciais candidatos.

Ahhh, o R H implantou novidades na área de seleção! Grande número de empresas automatizou e também implantou seleção à distância, pois o isolamento social limitou a possibilidade dos candidatos deslocarem-se até a sede da empresa.

A seleção começou a ser feita totalmente On Line. Começaram a ser solicitados vídeocurrículos, entrevistas On Line por sistemas de videoconferência começaram a ser realizadas! O CRP liberou em caráter de emergência, os testes de seleção On Line. Todas essas novidades vieram cercadas de procedimentos, protocolos e cuidados éticos para preservar o candidato que se submete a esses processos seletivos.

Quanta novidade num é mesmo?

Poxa Arnaldo, mas só agora, cinco meses depois você solta esse post!!!!

Se soubesse disso lá para março ou abril, já estaria empregado, pois fiz esses processos seletivos e não passei!

O que você recomenda Arnaldo?

Pois é meu querido candidato! As coisas são assim mesmo! Somos pegos de surpresa.

Mas eu devolvo a pergunta: Como você pode se preparar para os novos tipos de processo seletivo adotados no pós-pandemia?

Não tenho uma receita de bolo para você, mas acredito que possam ser seguidos os seguintes caminhos:

– Ter um perfil atualizado nas redes sociais, principalmente no Linkedin;

– Inscrever-se e participar de grupos de profissionais no Whattsap;

– Cadastrar-se no “Trabalhe Conosco” de empresas que você considera referência e que podem vir a precisar de profissionais com suas características e experiências;

– Preparar um vídeocurrículo, com o seu celular;

– Abrir contas nos sistemas de videoconferência, gratuito mesmo, como o Skype, Zoom ou GoogleMeet, para participar de entrevistas On Line ou de dinâmicas de grupo on line;

– Manter-se atualizado no seu cargo, pesquisando em fontes confiáveis, notícias ou novidades sobre sua tarefas;

– Inscrever-se em cursos On Line, mesmo que gratuitos, para atualizar-se profissionalmente;

Encerrando as dicas desse post, peço encarecidamente que você avalie a possibilidade de vir a trabalhar em home office.

Trata-se de uma tendência que veio forte e em alguns casos de forma definitiva.

Essa questão me faz te lembrar que o home office rompe a barreira da distância para se chegar ao trabalho, vez que você pode exercer a função na sua casa e a empresa ser em outras cidade, Campinas por exemplo.

Bom, eu espero que essas dicas e informações sejam úteis para você aumentar as chances de conquistar um novo emprego!

Um forte abraço,

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo e Coach de Carreiras

COMO CUIDAR DO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL E PESSOAL NA RADIOLOGIA

Nesse dia 24 de julho de 2020 participei de uma Live no Instagram com a Professora Ana Cláudia Machado Silva, da Academia de Radiologia.

No tema da Live tratamos das estratégias que podem sem adotadas pelas pessoas para se desenvolverem nesse contexto de pandemia e de distanciamento social. Esse tempo que está surgindo está sendo chamado de “novo normal”.

Sobre esse tema, lembro de ter escrito alguns posts abordando as competências necessárias para a Indústria 4.0. Mostro que tecnologias como Inteligência Artificial, BigData, Realidade Aumentada, Business Inteligence, são fortes tendências para a evolução dos negócios. Aliás, os gurus da gestão escrevem também sobre essas tendências tecnológicas, estimulando que os trabalhadores busquem capacitação, sob pena de ficarem à margem dos novos empregos, novas carreiras.

Ocorre que com a atual pandemia, tivemos que buscar avanços avanços extraordinários praticamente do dia para a noite, sob pena de fecharem as portas!

Como veem, tudo mudou, o mundo parou, a pandemia avançou, e a quarentena foi decretada.

A área da saúde virou protagonista, mais do que já é!

E nesse contexto está a radiologia, que abriu novos postos de trabalho e está na linha de frente no combate à COVID-19.

A pergunta central da nossa LIVE foi como desenvolver suas capacidades técnicas e pessoais.

Com a palavra a Professora Ana Claudia apresentou questões como escolher cursos adequados, buscar literatura sobre assuntos que estão em evidência, conferir as fontes de informação, garantindo a veracidade dos fatos. Buscar identificar a forma predominante de aprendizado. Se o predomínio é do aprendizado visual, aprendizado auditivo ou aprendizado cinestésico.

Essas providências poderão ajudar na criação de um mapa mental de aprendizagem, destravando possíveis dificuldades de compreensão e retenção do aprendizado.

Com a palavra eu pude expor maneiras de se desenvolver utilizando-se de conceitos e práticas de crescimento pessoal, como o Coaching, a Mentoria, os treinamentos e o Aconselhamento.

Alertei sobre a necessidade de escolher profissionais capacitados para aplicar as ferramentas de desenvolvimento pessoal, em especial, o Coaching. Comentei o tempo que investi em minha formação como coach e o complemento que a psicologia traz para os trabalhos e atendimentos que desenvolvo!

Continue expondo que a quantidade de horas que dediquei a minha capacitação criou espaço para meu crescimento pessoal. Acredito que o indivíduo bem preparado sairá fortalecido para suportar as dificuldades do dia a dia.

Com o foco em desenvolver essas habilidades comportamentais o profissional poderá assumir tarefas como liderança, trabalho em equipe, planejamento!

Devolvendo a palavra à professora Ana Claudia, ela teve a oportunidade de mostrar o trabalho piloto desenvolvido no “Projeto Mentoria para Radiologia!

Mostrou os resultados do projeto piloto da mentoria desenvolvido em 2019!

O projeto prevê que em sessões individuais, os indivíduos realizam tarefas que iam de encontro a seus objetivos. Os objetivos variaram de passar em concurso público, ser promovido, ou ingressar na área da radiologia.

Por fim abrimos a Live para perguntas pertinentes ao assunto.

Terminamos com as considerações finais e agradecimento a participação. de Todos.

Estamos planejando novas Lives sobre temas variados da Radiologia!

Agradeço pela oportunidade e também pelo seu interesse em desenvolver-se.

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo

Como preparar uma mudança planejada de Carreira em meio à pandemia do COVID-19?

Tenho recebido muitos pedidos de conselho no Linkedin sobre essa questão de mudança de carreira, logo agora que estamos na pandemia do COVID-19!!!

Essa é uma questão muito interessante e desafiadora! Apesar de já ter passado por três transições de carreira em minha vida profissional, em nenhuma o momento era tão crítico e disruptivo como no momento atual.

Para responder a essa questão tenho direcionado energias a pesquisar o mercado de trabalho, analisar os índices oficiais do governo, CEO de grandes multinacionais, verificar o momento economico e social, perceber as tendências tecnologicas da economia 4.0 e também utilizar um pouco do meu feeling para essa questão de gestão de crise!

Entendo que a questão “planejar” também necessita um pouco de flexibilidade, pois algumas tendências que despontam agora, podem não vingar no futuro, e provocar uma tremenda perda de tempo, dinheiro e talento!

Nunca o planejamento de curtíssimo prazo foi tão importante. Sabe aquela coisa de acordar fazer a lista de tarefas, estabelecer as prioridades, colocar a mão na massa e depois medir os resultados atingidos!!!! É bem por ai!

Tenho orientado a acompanhar o planejamento semanalmente, e também na carreira não é diferente!

Na mudança de carreira, duas análises principais eu recomendo. A análise de SWOT pessoal e o Mapeamento das Competências atuais!

Entendo se você fizer uma análise interna, do seu íntimo, com franqueza e autoconhecimento, você terá uma visão de suas FORÇAS e também das FRAQUEZAS, dos seu pontos que precisam melhorar, que precisam um investimento em capacitação e também de amadurecimento.

Já na análise externa, que não depende de você, certamente conseguirá identificar oportunidades que podem ser conquistadas com a mudança da carreira, os benefícios que essa decisão trará! Já nas ameaças, em uma análise crítica e realista, você perceberá quais serão seus concorrentes, seus obstáculos e identificará aquilo que poderá dar errado, não por uma incompetência sua, mas por causa do MACROAMBIENTE,ao qual você não tem controle, mas que pode ter um preparo suficiente para suportar essas pressões.

E por falar em macroambiente, como ele está incerto, te dou algumas dicas para fortalecer sua decisão de trocar de profissão, de área ou pretender ser promovido.

  • Incomodo com sua realidade atual. O que você faz já não te traz alegrias como antes;
  • Percepção de que sua função está se tornando obsoleta e que existe uma tendência de automação com substituição da mão de obra por sistemas ou robôs;
  • Identificação com carreiras que estão surgindo em sua área, com maiores perspectivas profissionais;
  • Desgaste emocional excessivo em razão da desvalorização do seu trabalho, da sua profissão ou de você como pessoa. Percebe que está no limite emocional!
  • Sua empresa está em transformação por causa da pandemia e você vê esse momento como uma oportunidade de crescimento profissional, de novos aprendizados e de nova perspectiva, novo ânimo, novo gás! É a hora que você sempre esperou em sua carreira!

Tá vendo só como a mudança planejada de carreira é recomendável, mesmo nesses momentos de incerteza e temor por demissões!

Avalie o momento, veja se não é somente uma tristeza ou raiva momentânea com seu atual emprego, com sua atual carreira! E depois de refletir avaliar, analisar de “cabeça fresca” tome a melhor decisão possível!

E se precisar de ajuda, conte comigo!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo e Coach de Carreiras

OPORTUNIDADES DE TRABALHO EM ALTA

Os números publicados sobre o mercado de trabalho nesse mês de julho não está nada favorável à busca de emprego!

Os efeitos da crise provocada pela pandemia do COVID-19 já se mostram devastadores, com o índice de desemprego extremamente elevado, isso sem falar na quantidade de contratos de trabalhos suspensos e também nas reduções de carga horária com respectiva redução do valor do salário!

Acontece que em toda crise ouvimos: “é nas crises que surgem as oportunidades”, não é isso?

Eu já passei por várias e nem vale a pena relacionar cada crise que vivenciei nesse país e no mundo!

Olhando para a parte cheia do copo, que é o que realmente interessa (nem sei se você vai concordar comigo) , o que vale! Sou otimista e busco propagar esse otimismo.

Pelas pesquisas que tenho feito junto a sites especializados, grupos que faço parte, colegas de Recursos Humanos que possuo, existem muitas áreas em crescimento, mesmo com a pandemia!

As áreas que tiveram seus efeitos minimizados na crise, e até mesmo crescido, apesar dela, são:

  • Logistica, toda sua cadeia produtiva – armazéns, entregas;
  • Informática – da produção de equipamentos e vendas direta;
  • T. I – desenvolvimento de sistemas para a Índústria 4. 0;
  • Gestão de Projetos – Voltados à nova realidade – pós-pandemia;
  • Saúde – Médicos, Enfermeiros, e demais profissionais de apoio aos serviços de saúde;
  • Construção Civil – Principalmente profissionais ligados a reforma – eletricista, encanador, pintor, azulejista;
  • Supermercados – Profissionais ligados a operações do supermercado;
  • Educação – Profissionais ligados ao ensino à distância, ensino ao vivo – conteúdistas, Design Instrucional, Produtores de Vídeos, Editores de Vídeos, demais profissionais do EAD;
  • Marketing Digital – Profissionais ligados a Redes Sociais, BigData, Business Inteligence, Experiência com o Consumidor;
  • E-Commerce – Toda a Cadeia de Vendas On Line, da construção do site ao acompanhamento do pós-vendas.

Já pensou em seguir algumas das carreiras ou profissões relacionadas aqui nesse post?

Essas são apenas algumas informações que coletei, mais ligadas a Gestão, Vendas e Negócios!

Muitas outras áreas foram criadas com o surgimento da pandemia e da necessidade de montagem às pressas do home office, do trabalho remoto!

Você está preparado para o AGORA? Não é nem para o ontem e nem para o amanhã!!!!!!!

Conselho que eu dou para você – REINVENTE-SE!!!!!

O mercado de trabalho te espera!

Portanto, busque cursos rápidos, pesquise sites especializados, busque também desenvolvimento com um Coach ou Mentor! Invista na sua capacitação e desenvolvimento!

Tudo está acontecendo muito rápido! Decisões precisam ser tomadas!

E Você?

Está esperando o que?

Se precisar de ajuda, conte comigo!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo

RELACIONAMENTOS E PANDEMIA

Relacionamento entre colegas de trabalho

O mundo em transformação traz algumas questões interessantes para debater e refletir.

Tenho conversado com muitas pessoas desde março sobre as mudanças que aconteceram de forma acelerada. Uma das questões que mais tem gerado controvérsias são os relacionamentos.

Uma realidade que existia até o surgimento da pandemia e da adoção em massa do Home Office era a questão da falta de tempo, a famosa frase que ouvíamos muito “eu não tenho tempo”! Levávamos uma vida agitada, de casa para o trabalho, do trabalho para a faculdade e da faculdade para casa!

Muitos saíam antes das 6h00 da manhã de suas casas e só voltavam entre meia noite e uma hora da manhã! Saíam com sua família dormindo, só conversavam por mensagens ou ligação telefônica, Quantos pais de família não se encontraram nessa situação e quase não viam seus filhos crescer, ou sua esposa amadurecer ao seu lado.

Já pensou que doidera!!!!????

Não tínhamos tempo para um jantar em família, para ler aquele livro sugerido, ver aquele filme campeão de bilheteria, tomar aquele café com um grande amigo.

Passávamos cerca de 1h30 no transito ou transporte público, para chegar no serviço e para voltar para casa!!!!!

Vivi muito disso como professor !!!!!!! Nessa realidade maluca via os estudantes, que tinham aquela atividade para entregar, aquele conteúdo para estudar, aquele projeto para apresentar mas quando cobrávamos em sala de aula, ouvíamos:

“- Professor, não consegui entregar hoje pois estava em fechamento do faturamento da empresa e não deu tempo!”

Ou passávamos por isso quando tínhamos cobranças de nosso chefe sobre aquela nova ideia ou novidade! Uma análise de concorrência, e na maioria das vezes respondíamos: – Chefe, não consegui tabular os dados, mas amanhã sem falta te entrego!!!!!!!! Argumento mais dito pelo atraso da tarefa – “Eu não tive tempo!”””

Antes da pandemia, o mundo acelerado, consumista e assoberbado, não deixava sobrar tempo para nada! Estávamos estressados, ansiosos e irritados!!!!!!!

Veio a pandemia e durante todo esse tempo o que mais ouço??????? ” – Tenho tempo mas não consigo ter vontade para nada!!!!!

Com a pandemia . as pessoas tem dito: ” – Olho para o trabalho e não consigo deslanchar!! Vejo o celular e vários amigos me mandando mensagem, e não consigo responder!!!! Fico cansado só de olhar, as 250 mensagens não lidas!”

Nos relatos, é comum escutar:

Na casa, o que tem acontecido? Tenho ficado irritado com qualquer contrariedade!!!!!! Nossa, a TV está alta demais! Esse Jornal só traz notícias tristes! Meus filhos não entendem que preciso trabalhar e ficam querendo brincar comigo! Minha esposa quer que eu vá na feira, no mercado, na quitanda!!!!!!! Digo que não vou pois estamos em quarentena, se eu sair vou me contaminar, cair no hospital lotado, uma vaga na UTI que não sai!!!!!!!!! Esse home office está me deixando a beira de um ataque de nervos!!!!!!

Continuam o relato, dizendo: …….isso sem falar a irritação com o contrato de trabalho reduzido, as contas para pagar, que não param de chegar!!!! Como vou me relacionar com alguém com toda essa irritação e com a autoestima rebaixada! Estou tendo que me reinventar profissionalmente e pessoalmente, me reequilibrar emocionalmente! Me reanimar para puxar uma conversa, fazer uma ligação, tentar ser agradável comigo mesmo e também com as pessoas ao meu redor! Tudo para tentar manter meus relacionamentos mais saudáveis!

Como psicólogo busco por várias fontes de informação para entender “esse novo normal” Alguns casos extremos chegam ao conhecimento, coma as brigas entre vizinhos, discussões e em alguns casos há notícias de violência entre familiarares, amigos e colegas de trabalho.

A tecnologia disponibilizou muitas ferramentas para relacionamento. Acho incrível que existam tantos problemas para as pessoas relacionarem-se de forma saudável, pensando coletivamente e não individualmente!

Acredito que esses serão uns dos maiores desafios da humanidade nessa nova realidade pós-pandemia, conviver harmonicamente em sociedade.

E você? O que tem feito para manter seus relacionamentos saudáveis durante essa pandemia?

Deixe seus comentários, sugestões!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicólogo

PROCESSOS SELETIVOS E O NOVO NORMAL

Temos observado que desde a decretação do estado de emergência em função da pandemia do COVID-19, o trabalho está em acelerada transformação.

Do dia para noite as empresas estruturaram o Home Office nas residências de seus colaboradores.

Empresas começaram a vender pelo E-COMMERCE, restaurantes fecharam as portas e começaram a vender comida pelos aplicativos e as escolas começaram a dar aula On Line! Até o dia em que o mundo parou!

Quarentena, distanciamento social, tensão, medo, pavor!!!!! Ufaahhh

Mas o mundo continuou, as empresas continuaram, ou pelo menos parte delas.

Pessoas se adaptaram ao novo modelo, pessoas pediram para sair, pessoas tiveram seus contratos de trabalho suspenso e muitas outras tiveram suas carga horária e salários reduzidos.

Nesse turbilhão de acontecimentos está o RH, que literalmente precisou se inventar.

Vagas surgiam,. postos de trabalhos ficaram sem seus colaboradores, e agora?????

O RH precisou contatar seus candidatos e fazer suas entrevistas ON LINE!!!! Mas Arnaldo, o RH até outro dia num era resistente a entrevistas ON LINE???

Pois é a pandemia, está ressignificando e flexibilizando procedimentos, processos, avaliações e também o processo seletivo precisou mudar!

Não foram somente as entrevistas que mudaram, agora também o selecionador está pedindo o vídeocurriculo como uma das etapas para o selecionador escolher os candidatos que entrevistará! Antes da Pandemia instituições como Itaú, Bradesco entre outras já adotavam essa prática!

Vale lembrar que o CRP autorizou e criou mecanismos para que tanto seleção, quanto aplicação de testes foram autorizadas suas aplicações, mediante procedimentos previamente autorizados!

E você? O que acha dessas novidades nos processos seletivos?

Eu acredito nessa evolução como inevitável, vez que o avanço tecnologico está transformando nossas relações e interações com o mundo!

Deixe sua opinião!

Arnaldo Pereira dos Santos

Psicologo